Todas as bicicletas na Holanda terão motores em até 15 anos, diz porta-voz da indústria local

Balanço publicado pelas associações RAI e Bovag, que representam a indústria e o comércio de bicicletas na Holanda, mostra crescimento de 5,7% nas vendas do varejo em 2018. O mercado interno absorveu 1 milhão de unidades e, pela primeira vez, as protagonistas foram as elétricas.

Com uma venda de 409 mil unidades, as e-bikes desbancaram as urbanas e assumiram de vez a ponta na preferência holandesa. Esse número é 25% maior do que as 294 mil comercializadas em 2017 e representa 40% de todas as vendas e 2018 no país. As urbanas, agora em segundo lugar, representam 34% do total comercializado no ano passado.

Em 2011 as urbanas dominavam o mercado holandês, com mais de 50% das vendas. As as elétricas respondiam por 15%. Mas, a partir de 2015, as elétricas já vendiam 28% do total e as comuns 42%.

Floris Liebrand , porta-voz da Rai Vereniging a associação da indústria automotiva e de ciclismo da Holanda, disse ao The Guardian em 1º de março, que em um país onde a bicicleta está no sangue das pessoas e a inovação é constante, faz sentido a opção por modelos que possam levar as pessoas mais longe, já que 60% dos trabalhadores do país moram em média a 15 quilômetros de distância do local de trabalho.

A nova normalidade

Floris Liebrand , porta-voz da Rai Vereniging a associação da indústria automotiva e de ciclismo da Holanda, disse ao The Guardian em 1º de março, que em um país onde a bicicleta está no sangue das pessoas e a inovação é constante, faz sentido a opção por modelos que possam levar as pessoas mais longe, já que 60% dos trabalhadores do país moram em média a 15 quilômetros de distância do local de trabalho.

“Não falaremos, no futuro, de bicicletas elétricas, mas simplesmente de bicicletas. Creio que as bicicletas elétricas vão se converter na nova normalidade dentro de 10 o 15 anos. Penso que todas as bicicletas levarão incorporadas pequenos motores”, disse.

O mercado de bicicletas na Holanda superou outro recorde em 2018. Tornou-se bilionária, com o faturamento de 1,2 bilhão de Euros, sendo 823 mil só com as elétricas. Deve-se ao fato de que a média de preço das e-bikes produzidas na Holanda supera os 2 mil Euros.

Tendência é de crescimento

Revendedores locais esperam aumento nas vendas de bicicletas devido à busca pela sustentabilidade do comércio no país. Comunicado da RAI e Bovag informa que a simplificação das regras fiscais para o uso comercial da bicicleta prevista para vigorar a partir de janeiro de 2020 possa acrescentar mais 150 mil unidades extras às vendas anuais.

Alertam porém para necessidade em aumentar a conectividade entre vilas e aldeias e proporcionar seguranças para pedaladas, o que depende da boa vontade das administrações municipais. “Há um papel importante aqui para as novas autoridades provinciais a fim de abrir espaço em seus planos de política para investimentos em infraestrutura de bicicletas”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.