Trípoli quer batizar ciclopassarela Parque do Povo com nome de oftalmologista

O vereador paulistano Xexéu Tripoli (PSDB) criou um projeto de lei para batizar com o nome de um médico oftalmologista a ciclopassarela que interliga o Parque do Povo à ciclovia da CPTM na Marginal Pinheiros, Vila Olímpia, Zona Sul de São Paulo.

Como esses projetos de lei de nomeação de vias públicas dificilmente são recusados pelo plenário da Câmara dos Vereadores, a via tem 99% de chance de se chamar Ciclopassarela Dr. Moacir Cunha.

O vereador, no entanto, não é próximo do movimento cicloativista. A maior causa dele são os pets.

É um dinheiro que seria mais aproveitado se fosse usado para chamar a atenção da violência no trânsito que vitimou centenas de pessoas ciclistas mortas na cidade, atropeladas por carros, ônibus e caminhões.

Tode ciclista conhece alguma bicicleta branca, as ghost bikes, colocadas nos locais onde as tragédias aconteceram. A ciclopassarela em questão poderia se chamar Matheus Mello, Márcia Prado ou José Cantil de Queiroz.

Xexéu Tripoli diz que o doutor Cunha era popular em Higienópolis, bairro distante uns 10 quilômetros da ciclopassarela. Era médico oftalmologista formado pela USP, nascido em 1922 e falecido em 1984.

Na justificativa do exceLentíssimo vereador, doutor Cunha manteve uma clínica famosa naquele bairro e “em mais de 30 anos, o endereço recebeu boa parte dos cidadãos paulistanos, sendo popularmente conhecido como “A Clínica da Rua Bahia”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.